Esteroides Anabolizantes | Enfermeiro João Marques

A Joana pediu-me para falar sobre o tema tabu. Esteroides Anabolizantes, ou como os Americanos dizem AAE (androgenic anabolic steroids) que acho o termo mais apropriado.

Claro que não vou fazer uma dissertação aprofundada sobre a temática, embora a saiba e tenha estudado muito esta área antes de tomar a opção pouco saudável de os usar.

Primeiro de tudo: Não aconselho ninguém a usar este tipo de substâncias. Nunca ninguém me ouviu nem ouvirá a dizer “Acho que deverias por AAE”. Apenas digo que se querem tomar essa opção podem falar comigo porque sei bastante na teoria e prática.

Segundo: O que são AAE? Bem são substâncias, fármacos, que de uma ou outra forma aumentam a síntese proteica e a recuperação dos tecidos musculares, provocando alterações drásticas no equilibrio do cortisol e subsequentemente aumentando o tecido muscular. A maioria estimula a produção directa ou indirecta da testosterona (hormona masculina que, dentro de muitas função, é altamente anabolizante). Contudo, os Androgenos/Anabolizantes não se limitam a esteroides mas a hormonas propriamente ditas como a Testosterona, Hormona de Crescimento, IGF1 ou a Insulina. Há um mundo de substancias à escolha e cada uma tem resultados diferentes no organismo. Normalmente usam-se em conjunto para promover o potencial sinergico dos fármacos. São usadas nos famosos ciclos, ou seja, por temporadas, não só para podermos “descansar” o corpo, mas também para poder-se reactivar os receptores hormonais em causa que rapidamente se saturam

Apresentados os AAE (acho que nunca fiz uma explicação tão pequena e básica lol) vamos falar de efeitos colaterais. Morte? Não! De todo! Há pessoas que podem morrer claro, qualquer fármaco tem um potencial de mortalidade nem que seja por anafilaxia. Morbilidade? Sim! Muita. Que pode levar à morte? Eventualmente sim. Não existem estudos que provem concretamente a relação entre AAE e morte (embora duvide que alguém tenha tentado gastar dinheiro num estudo desses). Normalmente a morte em pessoas com este tipo de consumo está relacionada com problemas cardiacos, hepáticos, renais que podem ou não ser provocados pelos AAE (embora estes ajudem, mas já lá chego). Igualmente pessoas que morrem pelo uso de AAE frequentemente usam outras drogas.

Sabiam que a lei anti AAE nos EUA foi para a frente pela morte de um miudo que tinha começado esteroides há meses? Mas que esse miudo sofria de depressão e já estava medicado com medicação anti-depressiva (que também pode matar)? Ele suicidou-se (como tantos milhões de miudos neste mundo) e atribuiram ao chamado Roid Rage.

Excluida a morte vamos aos efeitos colateriais major (apenas os mais importantes). Eles são:

  • Alterações no hematocrito (parte sólida do sangue) que leva a que o sangue fique mais espesso e aumente o risco de AVC e Enfartes Agudos do Miocardio (EAM).
  • Graves alterações lipidicas como o aumento do colesterol, especialemente o LDL.
  • Alterações hepaticas pela alta toxicidade destas substancias e pela sobredosagem delas, o que pode levar a falencia hepatica, hepatites virais ou cirrose.
  • Alterações renais como o aumento da creatinina e ureia podendo levar a Insuficiencias Renais Cronicas com necessidade de Dialise.
  • Alterações emocionais? Bem…Não vou entrar por aí, trabalhei quase 9 anos num serviço de urgência e posso dizer que a droga que mais provoca desacatos, mortes, suicidios, homicidios, etc é o álcool, mas dele ninguém fala. Não há a raiva dos AAE ou Roide Rage, há sim pessoas estupidas que com mais 20kg em cima se acham os maiores.
  • E depressão? Bem a vida está cheia de portas que levam a depressão e há pessoas mais ou menos susceptíveis a estas.
  • Cancro? Não há correlação. O que há é, na pré-existencia de um cancro, a proliferação mais rapida deste. Por ultimo, alterações hormonais que podem levar à Impotência sexual, acne, queda de cabelo etc.

Apresentados sumariamente (muito mesmo) os efeitos colaterais. Há que dizer que, se alguém quer usar estas substancias há que faze-lo com cabeça. Por isso estou aqui a falar. Para que isto não seja Tabu. Para que quem o vai fazer seja como for o faça na maior segurança possível. Estudem pff! Falem com quem já fez. Vão descobrir que para cada um dos efeitos colaterais há maneiras de preveni-los. Desde a aspirina, aos acidos gordos, aos litros de agua, à silimarina, HCG, etc etc (há que ter cuidados durante os ciclos e fazer os chamados PCT – Post Cycle Therapy).

Agora. O que leva uma pessoa que até sabe o mal que faz a tomar esta opção? Falando da minha pessoa porque cada caso é um caso, a mim foi um plateau que não passava. Comecei a treinar no final dos 17 anos. Até aos 19 nem um batido de proteína bebia. Dos 19 aos 22 conheci os suplementos e fui experimentando todos. Até que aos 22, quando comecei a trabalhar, gastava aos 100€ por mês nesses meninos (100€ de suplementos todos os meses…isso também deve fazer mal ao organismo não?). E dos 22 aos 24 nada, andei sempre na mesma. Decidi explorar, ler, informar-me, falar com quem já tinha feito e começar com um ciclo muito básico e fraco e…adorei. Fiquei horrivel na altura, cheio de retenção, mas adorei.
Mente fraca? Talvez. São opções. Eu não critico ninguém.

Agora atenção há cada vez mais a febre dos AAE nos ginásios e há meninos metidos neles com meses de treinos. Companheiros há uma coisa chamada maturidade muscular. Sem se atingir isso não vale a pena gastarem dinheiro em AAE. Eu treinei todos os dias durante 7 anos sem eles!

Mais uma coisa. Os AAE não fazem milagres, se fizessem estariam muitos portugueses no Olympia. Todos estariam em excelente forma na praia. Eles são um catalizador. E posso garantir que são 10% de bónus. O resto vem de trabalho árduo, alimentação correcta, descanso e muita disciplina. Eu sigo um plano nutricional rigoroso, preparo todas as refeições. Treino afincadamente todos os dias, faço mesociclos e microciclos em treinos não lineares. Vivo e respiro musculação a cada instante. Não é só meter fármacos. Se não estão dispostos a fazer o resto não estraguem a vossa saúde!

Neste momento os AAE já não constituem parte integrante da minha vida como há 2 anos atrás. Sim, é mais dificil andar sem aquele estimulo. Mas muito se consegue. Este ano e esta fase de secagem foram a prova disso, a alimentação, o cardio em jejum, as rotinas e os tipos de treino mudaram em relação aos outros anos, tudo o resto esteve na mesma e este ano cheguei onde nunca cheguei. Tirem ilações.

Espero que tenha dado algumas luzes sobre a temática. Posso aprofundar o tema (50páginas devem chegar lol), mas podem também falar comigo em privado.

Bons treinos !


Email : j.marques83@gmail.com

Instagram @jm.uk.fitjourney

Instagram da Carla (irma do Joao) : @pessoa1976

Entrevista aqui

|Tenho algumas perguntas João mas isso vou deixar na caixa de comentários 🙂

|Adorei e vou partilhar sem duvidas!

|Obrigado mais uma vez 😀